A Civilização Fenícia – Povos, Sociedade, Economia e Cultura

Apesar das semelhanças com os hebreus, a trajetória histórica percorrida pelos fenícios foi bem diferente. De origem semita, desde aproximadamente 3000 a.C. os fenícios já estavam instalados em uma região entre as montanhas e o Mediterrâneo oriental, onde hoje se situam o Líbano e uma pequena parte da Síria.

Apesar das semelhanças com os hebreus, a trajetória histórica percorrida pelos fenícios foi bem diferente. De origem semita, desde aproximadamente 3000 a.C. os fenícios já estavam instalados em uma região entre as montanhas e o Mediterrâneo oriental, onde hoje se situam o Líbano e uma pequena parte da Síria.

Devido às dificuldades geográficas da região e limitados por Estados mais poderosos instalados no Crescente Fértil, acabaram se expandindo pelas costas do mar Mediterrâneo. Essas condições foram determinadas para que se tornassem marinheiros e comerciantes.

Os fenícios jamais organizaram um Estado centralizado. Predominou entre eles a autonomia das cidades, as quais disputavam o poder entre si. Politicamente independentes, cada uma delas tinha seu próprio governante e sua forma administrativa. O comércio, através dos portos, era a atividade econômica mais importante desse povo e determinava, de tempos em tempos, a ascensão e a hegemonia política das cidades. A primeira a alcançar o predomínio comercial e político foi Biblos, seguida por Sídon e Tiro.Com a decadência de Creta, que por muito tempo mantivera o domínio sobre o Mediterrâneo, os fenícios tornaram-se os mais importantes comerciantes da época (por volta de 1200 a.C.). Eles estabeleceram contatos entre o Oriente e o Ocidente, comercializando todo tipo de produto, como tapetes, cavalos, jóias, ervas aromáticas, etc. Criaram novas rotas de navegação e núcleos de comércio por todo o Mediterrâneo, chegando à costa atlântica africana e à atual Inglaterra.As atividades comerciais exercidas pelos fenícios os ajudaram a desenvolver suas habilidades para fazer contas, medir, pesar, etc. Provavelmente foi também a necessidade de uma escrita de registro comercial mais fácil do que os hieróglifos e mais ágil que a cuneiforme que os levou a criarem uma série de 22 sinais que, combinados, poderiam representar o som da fala. Ou seja, eles desenvolveram o alfabeto, cujo sistema, depois de conhecido por gregos e romanos, foi acrescido de novas vogais e é utilizado até hoje.
17:07:45 2010-07-15

Sobre admin